domingo, 7 de julho de 2013

Único Dono!


E se formos pensar em quantas vezes sorrimos ou choramos por alguém, não deixaríamos novamente que o nosso coração fosse propriedade de outra pessoa, que não de nós mesmos.

                                                                      Fábio Baptista